Ginecologia

Ginecologia

ginecologia

A Ginecologia é uma área da saúde que trabalha especificamente com a saúde das mulheres. O profissional deste segmento se faz presente em todas as fases da paciente, vindo desde a puberdade, adolescência e idade adulta, auxiliando na prevenção, tratamentos contra doenças, reações fisiológicas que o corpo apresenta ao longo da vida, além do acompanhamento durante um dos momentos mais marcantes da vida das mulheres, a gravidez.

No Espaço M, o acompanhamento próximo aos profissionais ajudarão as pacientes que precisam de ajuda tanto com dúvidas, aconselhamentos sobre higiene e prevenção contra doenças.

Tratamentos Ginecológicos

Os ginecologistas também são profissionais especializados em doenças que se desenvolvem no sistema reprodutor feminino como ovários, vagina, útero e mamas. Dentre as doenças que os médicos do Espaço M previnem e intervém com tratamentos estão:

ginecologiaEndometriose: Uma doença que é causada pelo crescimento anormal do tecido endometrial, chegando a atingir a área fora do útero e ovários. Essa doença pode causar dores na parte de baixo da barriga e se acentuando ainda mais durante o período menstrual da mulher.

Corrimento vaginal: Em casos em que o corrimento deixa de ser uma reação fisiológica são nas situações em que o líquido deixa de ter uma aparência natural (transparente) e passa a ganhar cores e uma aparência densa, sinalizando algum tipo de infecção na vagina resultadas de doenças sexualmente transmissíveis ou originada por fungos.

Câncer de mama: Apesar de o ginecologista tratar em grande parte de doenças relacionadas a região da vagina da mulher, outro área avaliada também pelo médico são as mamas. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima-se que o número de casos de câncer mamário aumenta cerca de 59.700 casos a cada dois anos no Brasil.

A doença consiste em tumores que se formam nas mamas por alterações genéticas nas células mamárias. Apesar de ser uma doença que diz respeito à oncologia, o ginecologista é quem faz a avaliação inicial e indica exames a serem feitos para uma avaliação aprofundada. A mamografia, um dos principais exames para a avaliação do câncer, pode ser feita em mulheres a partir dos 35 anos para prevenir possíveis nódulos que podem vir a aparecer.

Síndromes dos ovários policísticos: Também sendo abreviada como SOP, a doença acomete muitas mulheres durante sua idade fértil, período onde uma gravidez é possível. No entanto, com a síndrome a ovulação é prejudicada e não ocorre, além de uma instabilidade menstrual que também pode afetar a paciente.

Todavia, apesar dos sintomas citados, a principal característica da SOP se dá pelo aumento excessivo dos ovários somados com o aparecimento de cistos na região. Dentre os sintomas da doença estão o aumento de peso, crescimento significativo de pelos no corpo como no rosto, braços e pernas. Pacientes também pode apresentar outros sintomas que acarretam no surgimento de outras doenças como a diabetes, visto que ocorre uma resistência à insulina, além de gerar hipertensão à paciente.

O tratamento contra a Síndrome dos ovários policísticos parte do pressuposto de que a doença não tem cura e apenas formas de minimizar os sintomas apresentados podem ser adotados. Ademais, o tratamento também se baseia na prevenção de doenças que poderão se desenvolver por conta do quadro clínico da paciente (diabetes e hipertensão), portanto, uma mudança nos hábitos alimentares e prática de exercícios são formas que melhoram a qualidade de vida da paciente que tem a doença.

ginecologiaAlém de doenças que podem causar riscos às mulheres, o ginecologista também auxilia na fisiologia da paciente ao longo da vida como a primeira menstruação, que ocorre entre os 12 e 14 anos das meninas. O papel do ginecologista neste caso passa pela humanização junto da paciente e em explicar as alterações que o corpo vai sofrer, como com as cólicas, crescimento dos seios, pelos e etc. Neste momento, em que as mulheres precisam de uma compreensão clara e humanizada sobre mudanças corporais, é onde o profissional do Espaço M atua, acompanhando as transformações da paciente não só no início, mas em todo o processo de evolução corporal.

Agende uma consulta com nossos profissionais.

Acompanhamento de um Ginecologista

Dentre as alterações fisiológicas do corpo, está a tensão pré-menstrual. Mas afinal, o que é TPM?

A TPM consiste em sintomas tanto físicos, quanto psicológicos que se sobressaem durante o período menstrual da mulher. Os hormônios como o estrogênio e a serotonina passam por oscilações em seus níveis no organismo da mulher, gerando assim a TPM e a instabilidade no humor, por exemplo.

Dentre os principais sintomas emocionais, está a ansiedade, sonolência, irritabilidade e até mesmo a depressão. Por outro lado, as alterações físicas se dão por dores de cabeça, vômitos e, em alguns casos, alergias que podem se desenvolver durante o ciclo menstrual, onde a TPM e seus sintomas predominam.

Outra alteração fisiológica que vale o destaque é a menopausa, que ocorre em mulheres na faixa dos 50 anos e é o encerramento dos ciclos menstruais, que decreta também o fim da produção de hormônios nos ovários. Os sintomas são adversos e vão de calor, alterações no humor e dificuldades para dormir, se fazendo importante o acompanhamento de um ginecologista nesta etapa da vida da mulher, para aconselha-la para a diminuição de tais sintomas fisiológicos.

Primeira consulta no Espaço M

O atendimento ginecológico deve ser feito desde a infância, início da puberdade, quando as mulheres tem o primeiro ciclo menstrual. No Espaço M, o ginecologista vai esclarecer todas as dúvidas da paciente e acompanha-la em todas as mudanças corporais, com um tratamento humano em que exista uma relação de confiança entre médico e paciente. Além disso, os profissionais disponibilizarão os números para contato direto e próximo, estando disponíveis para consultas diárias sobre dúvidas não só das pacientes jovens, mas de todas.

Especialistas

Fábio Aiello Padilla | CRM: 112.03

Médico formado pela USP. Ginecologista e Obstetra com especialização no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, e especialista em Reprodução Humana.

Pedro Peregrino | CRM: 144.272

Formado pela FMUSP, especialista em Ginecologia e Obstetrícia pelo HC-USP, onde é Médio Colaborador no setor de Ginecologia Endovascular e Leiomioma Uterino, e atua também na área de Reprodução Humana.